segunda-feira, 29 de junho de 2015

Pão Feito na Panificadora Elétrica

Já faz um tempo que eu queria comprar uma panificadora elétrica mas tinha preguiça de prosseguir com os planos. A outra receita de pão que eu já tinha experimentado, essa aqui, era na verdade, massa de bolo porque leva fermento químico. Fora isso, a única vez que me aventurei a fazer massa com fermento biológico foi um estrondoso fracasso, o pão ficou duro e intragável. Mas tudo mudou quando minha irmã me ofereceu a máquina da Arno dela pra eu fazer um test drive.

Lendo o manual me deparei com uma contradição, a maquina vem acompanhada da copos medidores mas nas receitas eles dão as medidas da farinha em gramas. Numa rápida pesquisa em fóruns e blogs da vida a unanimidade era: a maquina da Arno é boa, mas o manual e o livro de recitas são uma furada. Todas a dicas apontavam para usar as receitas dos livros da Britânia e Cadence.

Na minha primeira tentativa fiquei com medo de fazer receita de outra máquina porque os ciclos da Arno são para fazer pães de 450g, 700g e 1kg, já o ciclo das outras são para pães de 600g e 900g. Então resolvi fazer a receita de pão básico do manual da Arno mesmo, usando um conversor de medidas que achei na internet. 

Não mudei nadinha da receita (outra unanimidade entre os internautas: não se deve sair mudando as receitas porque desanda a massa). Mas como eu não me aguento acrescentei umas ervinhas: endro e alecrim. Comecei a fazer o pão eram umas 11 da noite, liguei a máquina e fui fazer outras coisas, quando voltei fiquei em pânico ao ver que a massa não formava uma bola homogênea no meio da forma, ou seja, não estava no ponto certo. Só que naquela altura não dava mais pra corrigir e eu entreguei na mão de Deus...hahahaha. Deitei no sofá esperando esperando o bip final soar e acabei dormindo. Acordei com o bip e um cheiro maravilhoso de pão às 2:30 da manhã. Apesar de toda a minha descrença deu tudo certo!

Pão Básico Máquina Arno

Mesmo com a massa fora do ponto o pão ficou bom e foi devorado em menos de 2 dias.

Na segunda tentativa resolvi fazer a receita de Pão da Toscana, essa aqui, do Blog Maquina de Pão. A receita é pra ser feita no tamanho de 900g e na máquina da Arno eu fiz no tamanho de 1kg. No inicio fiquei apreensiva porque a receita não pede óleo, azeite ou manteiga. Enquanto a massa batia achei que estava muito seca e coloquei mais uma colher de sopa de água e depois ela formou a tal bola homogênea no centro da forma, que todos falavam. Quando soou o bip para acrescentar recheio coloquei azeitonas pretas italianas picadas.Três horas depois lá estava meu pãozinho lindo e cheiroso.

Pão da Toscana

Pão da Toscana

Adorei essa receita de Pão da Toscana porque ela leva farinha integral, não usa gordura e dá pra variar o recheio. A casca fica durinha, como nos pães italianos e o recheio macio.

Estou decidida a não comprar mais pães industrializados! Resta saber até quando kkkkkk.

Bisous!

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Korres Brasil

Conheci a Korres numa viagem que fiz em 2010. O Hostel onde me hospedei em Lisboa disponibilizava para os hóspedes shampoo, sabonetes liquido e em barra e hidratante corporal, tudo da Korres. Tudo maravilhoso.

A marca foi fundada em 1996 pelo farmacêutico George Korres, dono de um laboratório homeopático na Grécia, e sua mulher, a engenheira química Lena Philippou. George é um apaixonado pelas propriedades e benefícios das ervas e plantas e fez uma extensa pesquisa sobre a ação e eficácia de mais de 3 mil ervas.

São mais de 500 produtos desenvolvidos a partir de elementos naturais, sem parabenos, sem óleos minerais, sem silicones, sem corantes sintéticos, etc. Enfim: muito natureba e ainda: as embalagens são recicláveis, os produtos utilizam o mínimo possível de elementos nocivos ao meio ambiente e não são feitos testes em animais.

Em 2011 a marca chegou ao Brasil, numa parceria com a Johnson & Johnson, mas não deu muito certo e a empresa deixou nosso mercado um ano depois. Fiquei decepcionada na época porque que só foram comercializados em SP e era tudo muito caro.

Mas, para a nossa alegria a Korres voltou! Agora trazida pela Avon, que vai fabricar e distribuir os produtos. Não se trata de uma fusão, vão apenas usar usar o maquinário, a mão de obra e a logística daqui, com o padrão de qualidade e as matérias-primas vindas todas da Grécia. Dessa forma os preços ficarão menos salgados, já que, por serem produzidos no Brasil, a taxação será menor (algo parecido com a L´occitane au Brésil).

Por enquanto serão só 120 itens, divididos entre rosto, corpo e cabelo. Mas já há previsão para a produção da linha masculina, das maquiagens e dos protetores solares.

Os produtos já estão sendo vendidos por especialistas de beleza Korres (aqui no Rio não vi nenhuma ainda), no site (onde eu já fiz minha compra!) e futuramente em lojas de varejo.

As compras no site estão saindo com frete grátis para compras acima de 99 reais. Comprei algumas coisinhas na madrugada de domingo para segunda e na quarta-feira já estava tudo lá em casa. Eles enviam e-mails avisando de todos os passos e foram muito eficientes. Amei tudo!

Korres Brasil

Comprei sabonetes em barra de Jasmim, Calêndula e Cardamomo, sabonete facial de Camomila e sabonete líquido e  hidratante corporal de Figo.

Korres Brasil

Esse é o sabonete de Jasmin, delicioso!

Já quero experimentar os shampoos e a linha Wild Rose (rosa mosqueta).

Bisous!